Ranqueamento no Google: verdades e mitos sobre o assunto

Confira aqui tudo que você precisa saber sobre ranqueamento no Google para garantir o melhor posicionamento. Todo mundo sabe que o Google é o melhor site de buscas. Com poucas palavras você é direcionado para sites e mais sites que contém praticamente tudo o que você está buscando. Essa funcionalidade acontece por conta de estratégias muito bem pensadas, e a mais famosa delas é, sem sombra de dúvidas, o SEO.

SEO (Search Engine Optimization) é a estratégia de marketing responsável por esse sucesso que é o Google, usada principalmente para melhorar o ranqueamento do site e, dessa forma, aumentar o tráfego orgânico. Logicamente, esse ranqueamento é cercado de dúvidas. Assim, para ajudá-lo a entender tudo dessa estratégia, separamos aqui alguns mitos e verdades.

Mitos sobre o ranqueamento no Google

Há uma péssima ideia criada pelo senso comum de que as ferramentas a seguir já bastam para ter um bom desempenho nos mecanismos de buscas. Ledo engano.

1. Google Ads

A maioria das pessoas juram que as técnicas de SEO são baseadas principalmente no Google Ads. Mas acredite: não é ele que comanda esse processo. A otimização não pode se basear apenas em anúncios, afinal o que determina a relevância dos resultados não são eles. Ou seja, não basta apenas anunciar no Google para que seu site seja o melhor colocado. É preciso ter outras estratégias para vencer nas buscas orgânicas, como o ranqueamento no Google.

2. Redes sociais

A popularidade só funciona na escola. O SEO não baseia suas classificações de busca em dados como links ou menções em redes sociais. Essas informações são sim usadas dentro dos algoritmos das mídias, mas quando o assunto é ser bem colocado no Google é preciso ter muito mais que muitas curtidas em uma foto.

3. Dados de envolvimento do usuário em páginas da web

Não, suas ações em sites não vão ser as responsáveis pela melhora do seu ranqueamento no Google. Não é navegando nas páginas que você vai conseguir mais pontos para se destacar — apesar de muita informação ser encontrada. Para melhorar no ranque, é preciso outras estratégias.

Verdades do ranqueamento

O desejo da maioria das empresas é que seu conteúdo seja encontrado nas primeiras páginas do Google. Confira alguns parâmetros que podem ajudar, mas não só eles.

1. Idade do domínio

O domínio é o seu endereço na internet, ou seja, é aquilo que as pessoas digitam no Google para chegar até seu site. Por isso, faz todo sentido ele ser muito importante para sua classificação.

Um dos fatores mais importantes quando o assunto é domínio é justamente a sua idade. Os sites mais antigos possuem a vantagem de terem tido mais tempo para produzir seus conteúdos e, portanto, receber mais visitas. Contudo, não é preciso apenas tempo, os conteúdos do site precisam ter apresentado relevância durante esses anos todos.

2. Velocidade de carregamento

Quem não gosta de páginas que em poucos segundos já pode te apresentar tudo de maneira rápida e prática? Portanto sim, a velocidade de carregamento é um dos principais fatores de ranqueamento no Google.

3. Palavras-chave

Palavras-chave também ajudam, e muito, em seu ranqueamento no Google — e se ela estiver presente na title tag melhor ainda. A title tag é uma marcação no código que identifica o título da página no momento das buscas. O ideal é que sua palavra-chave se encontre no início da sua title tag, assim você garantirá melhores resultados.

Outra localização muito importante para a palavra-chave é justamente no início do texto, as 100 primeiras palavras são sempre entendidas pelo Google como as mais importantes.

4. Tamanho do conteúdo

Os conteúdos mais longos são entendidos como os que possuem mais aprofundamento no assunto tratado, trazendo para o leitor mais informação. Por isso, se sua ambição é ocupar as primeiras posições, um conteúdo mais completo pode te ajudar muito nessa missão. Lembre-se de que qualidade conta mais que tamanho, por isso seu conteúdo precisa sempre ter muita relevância.

Atenção especial ao conteúdo duplicado, que pode representar plágio ou uma estratégia para manipular o ranking do buscador. O Google costuma rebaixar as páginas com conteúdo duplicados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze − sete =